Sexta, 21 de Junho de 2024
23°C 36°C
Teresina, PI
Publicidade

Projeto Forrageiras do semiárido apresenta resultados positivos

Quatro variedades de capim estão sendo testadas

08/05/2024 às 06h17 Atualizada em 13/05/2024 às 16h37
Por: Redação
Compartilhe:
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Fazenda Ceará de Bovinocultura de Corte recebeu produtores rurais e técnicos para um Dia de Campo do Projeto Forrageiras para o Semiárido – Pecuária Sustentável.

Na Unidade de Referência Tecnológica – URT, quatro variedades de capim estão sendo testadas: Massai, Buffel Aridus, Piatã e Paiaguás. O objetivo é identificar as melhores opções para o cultivo e manejo, visando aumentar a produtividade da pecuária e a renda dos pequenos produtores.

Após um ano de experimentos, os resultados são animadores. Os animais que pastam no experimento apresentaram aumento significativo de peso. “Os capins se adaptaram muito bem às condições do semiárido, mesmo durante a seca”, explica o supervisor técnico Hudson Marreiros. “A gente vem com ótimos resultados e realizamos esse dia de campo para apresentar aos produtores os resultados parciais, para que eles possam ser multiplicadores desse trabalho.”

O Projeto Forrageiras para o Semiárido é uma iniciativa fundamental para o desenvolvimento da pecuária na região. O projeto oferece assistência técnica e acesso a novas tecnologias para os pequenos produtores, ajudando-os a melhorar a qualidade da alimentação do gado, aumentar a produção e a renda.

"O projeto é muito importante para nós, produtores”, afirma o produtor Eduardo Macedo, que cedeu os animais para a pesquisa. “Com as forrageiras, os animais em um ano tiveram ganho de peso acima do esperado, isso mostra que o projeto deu certo.”

Os capins testados na URT são ricos em nutrientes e possuem alta digestibilidade, o que garante melhor aproveitamento pelos animais. Além disso, são resistentes à seca, o que os torna uma opção ideal para o clima semiárido.

"Os resultados demonstram que o Projeto Forrageiras para o Semiárido está no caminho certo”, destaca o Alenilda Novais, supervisora de campo do Instituto CNA.”A gente já consegue observar um ganho médio desses animais acima do que foi prospectado pelo projeto.”

O Dia de Campo foi uma oportunidade para os produtores rurais conhecerem os resultados das pesquisas, tirarem dúvidas com os técnicos e trocarem experiências entre si. “É muito importante ter eventos como este”, diz José Batista. “Aqui, a gente aprende com os outros produtores e com os técnicos, e leva novas ideias para a nossa propriedade.”

O projeto é promovido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), através do Instituto CNA e pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), coordenado no Piauí pela Federação de Agricultura e Pecuária do Estado do Piauí (Faepi) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/PI). Participaram também do evento o técnico da primeira fase do projeto, José João Carvalho, o técnico da EMBRAPA, Tadeu Vinhas e o técnico da URT, Gean Bastos.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lenium - Criar site de notícias