Sexta, 21 de Junho de 2024
23°C 36°C
Teresina, PI
Publicidade

Seminário sobre uso correto e seguro de agrotóxicos é realizado em Guadalupe

Dos dias 20 a 24 de maio, o evento acontecerá simultaneamente em mais de 120 municípios piauienses.

18/05/2024 às 08h01 Atualizada em 18/05/2024 às 08h10
Por: Redação
Compartilhe:
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Secretaria da Assistência Técnica e Defesa Agropecuária (Sada) realizou, através da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Piauí (Adapi), o lançamento da III Semana Estadual do Uso Correto e Seguro de Agrotóxicos. O evento aconteceu no município de Guadalupe-PI e contou com a participação de cerca de 200 pessoas. Três palestras foram ministradas: “Adapi e a Defesa Vegetal no Piauí”, “Uso correto e seguro de agrotóxicos”, “Componente Extensão Rural – Atribuições do Agente de ATER”. 

Nessa terceira edição do evento, o foco está voltado também para o interior do Estado. “Já levávamos essa orientação para o público estudantil, mas agora, em Guadalupe, estamos trabalhando com jovens que fazem curso de formação técnica na área rural e que logo estarão no mercado de trabalho, justamente no momento em a lei de agrotóxicos está mudando”, avaliou Olavo Vieira, coordenador do controle de agrotóxicos da Adapi. 

Dos dias 20 a 24 de maio, o evento acontecerá simultaneamente em mais de 120 municípios piauienses, ministrando as principais informações sobre aquisição, acondicionamento e técnicas apropriadas para uso de agrotóxicos. “Mais um evento realizado pela Sada e Adapi que busca, antes de tudo, conscientizar e educar o público em geral a respeito das leis que precisam ser cumpridas enquanto se produz alimentos. É uma questão séria, que envolve saúde pública, e nosso objetivo é cada vez ter um Estado consciente dessas questões”, disse Fábio Abreu, secretário da Sada. 

Os estudantes, que são da área técnica, precisam se conscientizar cada vez mais do seu papel de proteção do meio ambiente, um papel que está representando a futura geração. A nossa constituição federal, considerada também como constituição verde, diz que nós temos o dever de proteção do meio ambiente para presentes e futuras gerações. Então esse evento feito pela união de instituições voltado para os jovens sobre como utilizar melhor os agrotóxicos é como um disseminador de informações, porque a juventude é uma disseminadora de ideias”, avaliou Áurea Madruga, Promotora Coordenadora do Centro de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público. 

Estiveram presentes no evento representantes da Associação Central do Perímetro Irrigado dos Platôs de Guadalupe (Acipe), representantes do Conselho Regional de Engenharia Agronomia do Piauí (CREA-PI), do Ministério Público, do Conselho do Território dos Tabuleiros do Alto Parnaíba e da secretaria municipal de Guadalupe.   

Em Guadalupe, também houve a entrega de certificados para 21 estudantes que participaram do Curso de Processamento de Frutas Tropicais, promovido pela Sada através da Escola de Gestão, Educação Rural e Agropecuária.

A participação dos alunos foi muito valiosa. Eles estão muito empolgados com diplomas na mão, já dizendo que tem algo para colocar no currículo e aprendizados para colocar em prática. Essas parcerias são de grande importância para o aprendizado dos nossos alunos”, comentou Conceição Gonçalves, diretora do Centro de Educação Profissional Rural de Guadalupe (CEEPRU). 

Iva Almeida Lopes, extensionista rural da Sada, destacou o interesse dos alunos no curso. “Sem a cooperação e participação dos alunos, não temos como realizar o trabalho. Nós orientamos e ajudamos na técnica de produção dos produtos, mas são os alunos que produzem tudo. Foi uma experiência muito positiva, a produção de doces em potes e caldas e das geleias, das frutas tropicais: bananas, goiabas, mamão, acerola e limão”, disse.

A estudante Enaylle Machado, aluna do curso de técnico de agropecuária do CEEPRU, foi uma das participantes do curso. Ela conta que nunca tinha tido interesse nessa área, mas após a experiência do curso já pensa em trabalhar com produção de alimentos a partir do processamento de frutas tropicais. “Agora eu vou procurar me especializar e aprender ainda mais. Aprendi técnicas que nunca achei que poderiam ser utilizadas, como a casca do mamão, que serve para produção de muitos tipos de doces que ficam muito saborosos. Uma experiência maravilhosa”, declara.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lenium - Criar site de notícias