Sexta, 21 de Junho de 2024
23°C 36°C
Teresina, PI
Publicidade

EUA, China e outros 8 países já contam com planos de investimentos para o hidrogênio verde

Veja lista das nações que estão na vanguarda do desenvolvimento de projetos

31/05/2024 às 11h20 Atualizada em 03/06/2024 às 21h28
Por: Redação
Compartilhe:
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Entre os países que estão destinando recursos para infraestrutura, tecnologias de produção e políticas de incentivo ao H2V, estão: EUA, Alemanha, Austrália, Coreia do Sul, Holanda, Japão, China, França, Noruega e Espanha.

No Inflation Reduction Act (IRA) de 2022, os EUA incluíram subsídios significativos para hidrogênio verde, com créditos fiscais de até US$ 3 por quilo de hidrogênio produzido por eletrólise usando energia renovável.

Na Alemanha, os investimentos giram em torno de € 9 bilhões no desenvolvimento de tecnologias de hidrogênio, como parte de sua Estratégia Nacional de Hidrogênio, que inclui € 2 bilhões para parcerias internacionais. O país também está envolvido em projetos como o H2Global, que visa facilitar o comércio internacional de hidrogênio verde.

A Austrália, aproveitando seus vastos recursos renováveis, anunciou um fundo de US$ 370 milhões para projetos de hidrogênio renovável. O país tem parcerias internacionais significativas, incluindo acordos com o Japão e a Coreia do Sul para exportação de hidrogênio verde.

Já a Coreia do Sul lançou uma estratégia nacional de hidrogênio com um investimento de US$ 37 bilhões até 2040, que inclui a construção de infraestrutura de produção e distribuição de hidrogênio.

Na Holanda, os planos de investimento buscam o desenvolvimento do “Vale do Hidrogênio”, em Groningen. O governo holandês está fornecendo subsídios e incentivos fiscais para estimular a produção e uso de hidrogênio verde.

O Japão tem focado no uso do hidrogênio para transporte e energia, com grandes investimentos em pesquisa e desenvolvimento de tecnologias de hidrogênio. O governo japonês conta com políticas de apoio e subsídios para promover a adoção de hidrogênio, especialmente no setor de transporte.

A China, maior consumidor e produtor de hidrogênio no mundo, conta com grandes investimentos para ampliar sua produção. A nação desenvolve o maior projeto de hidrogênio verde do mundo, em Xinjiang.

A França, por sua vez, está investir € 7 bilhões até 2030 em sua estratégia de hidrogênio verde, que inclui desenvolvimento de infraestrutura e incentivos para indústrias utilizarem hidrogênio, além de menores custos na produção. O professor da Universidade de Waterloo comenta que grande parte do H2V produzido no país será realizado em usinas nucleares, o chamado “hidrogênio rosa”.

Como parte do seu plano de recuperação pós-Covid-19, a Espanha está investindo € 1,5 bilhões em projetos de H2V, com uma estratégia nacional que visa produzir 4 GW de capacidade de eletrólise até 2030.

A Noruega foca em projetos inovadores focados em hidrogênio de baixa emissão e investe em tecnologias de captura e armazenamento de carbono (CCS) para produzir hidrogênio azul e verde.

Por fim, Van Griensven, professor da Universidade de Waterloo, ressalta que, embora o Brasil tenha grandes oportunidades e partes interessadas, a burocracia e a falta de novas regulamentações estão impedindo o avanço nessa lista.

Dados do Ministério de Minas e Energia (MME) apontam que o Brasil tem potencial técnico para produzir 1,8 bilhão de toneladas de hidrogênio por ano.

Pasquale Augusto, MoneyTimes

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lenium - Criar site de notícias